Cólicas – O seu bebê tem? O que pode ser feito?

Padrão

Por Elizabeth Pantley – Gentle Care – McGraw-Hill,  2003.

Traduzido por Grasielly Mariano com autorização expressa da autora

Você deve ter escutado o termo cólica aplicado a qualquer bebê que chora demais. Nem todos os bebês “chorões” têm cólica, mas todos os bebês em cólica choram, e choram muito. Eles endurecem seus pequenos corpos ou se encolhem por conta da dor. Eles podem chorar tanto que parece não saber que você está lá. Quando os bebês choram desta forma acabam utilizando mais oxigênio, criando mais gazes e mais dor, o que os chorar ainda mais.

Pesquisadores ainda têm dúvidas sobre a real causa da cólica. Alguns especialistas acreditam que a cólica está relacionada com a imaturidade do sistema digestivo. Outros teorizam que a imaturidade do sistema nervoso e a inabilidade de lidar com os constantes estímulos sensoriais, causam um colapso no fim do dia, período que a cólica costuma aparecer.

Dr. Harvey Karp, em seu livro The Happiest Baby on the Block (BANTAM BOOK, 2002) apresentou uma nova teoria: Ele acredita que bebês acham seu novo mundo difícil de lidar. Eles anseiam pelas condições confortáveis que havia no útero.

Não importa a causa da cólica, ela pode ser fruto da combinação de todas as teorias e está entre as mais desgastantes condições que os pais enfrentam. A cólica acontece apenas em recém-nascidos, até o quarto ou quinto mês de vida. Os sintomas incluem:

– Um período regular de choro inconsolável, geralmente no fim do dia.

– Choro que dura entre uma e três horas, às vezes mais.

– Disposição e felicidade nos outros períodos do dia.

A Cólica pode ser Evitada?

Uma vez que não temos certeza das causas, nós não sabemos como é possível preveni-la. Mesmo se fizer tudo “certo” e seguir os passos para evitar as cólicas, ela ainda pode aparecer. Se você acha que seu bebê está com cólica, converse com o pediatra e leve seu bebê para ser examinado. Se tudo estiver bem, então você saberá que a cólica é a causa dos ataques diários de choro.

Já que as cólicas acontecem em recém-nascidos, os pais acreditam que estão fazendo algo de errado que estejam criando esta situação. A vulnerabilidade ou falta de experiência os colocam em posição de questionar as próprias habilidades de cuidar do bebê. Escutar o bebê chorar com cólicas e não saber o porque isto está acontecendo, ou o que fazer para aliviar a dor, é devastador para os pais. Eu sei disso porque um de meus quatro filhos sofreu com cólicas. Embora isto tenha acontecido há muitos anos (Angela está com 15 anos agora) eu me lembro como se fosse hoje. Ouvir meu bebê chorar noite após noite e não saber como ajudá-lo feria o meu coração, era frustrante. A minha maior descoberta foi: Não é culpa sua. Qualquer bebê pode ter cólica.

O que pode ajudar o seu bebê

Lembre-se que nada que você faça vai eliminar a cólica completamente, até que o sistema de seu bebê amadureça e seja capaz de funcionar sozinho. É dito que pais experientes e profissionais podem oferecer ajuda. Sumarizo as minhas descobertas para ajudar seu bebê a se sentir melhor: Procure “padrões” para o choro de seu bebê; isto pode dar dicas sobre quais intervenções podem ajudar mais. Investigue sinais de melhoria (não necessariamente que ele fique quieto por completo). Você pode tentar:

– Se mama no peito – amamente em livre demanda para nutrição e conforto, sempre que o bebê precisar desta influência tranquilizadora. Tente evitar alimentos que causem gases, eliminando uma possível causa por alguns dias e avaliando as mudanças. Os maiores causadores de desconforto abdominal são produtos enlatados, cafeína, brócolis e outros vegetais que causam gases.

– Segure o bebê mais inclinado

– Alimente-o em ambientes calmos

– Utilize o sling (carregadores) durante o período de cólicas

– Se o clima não é favorável à um passeio fora de casa, utilize o carrinho para passear dentro de casa

– Dê um banho morno no bebê

– Coloque uma toalha ou fralda morna na barriga, com atenção à temperatura

– Segure o bebê com as pernas encolhidas sem direção ao abdome

– Faça massagem na barriga ou no corpo todo

– Enrole-o em um cobertor aquecido

– Deite o bebê com a barriga em seu colo e massageie ou acaricie suas costas

– Sente com o bebê em uma cadeira de balanço ou coloque-o em um balanço

– Caminhe com o bebê em um quarto escuro e calmo enquanto você canta

– Mantenha o bebê longe de situações estimulantes durante o dia para prevenir sobrecarga sensorial, entendendo que um dia agitado pode significar inquietação noturna

– Deite-se de costas e coloque o bebê sob seu abdome, massageando suas costas (coloque-o no berço se ele adormecer)

– Coloque músicas calmas e com som da natureza

– Se nada resolver, pergunte ao seu médico sobre medicações contra gases e cólicas

Dicas para enfrentar a situação

Por mais difícil que seja para o bebê, a cólica é também um desafio para os pais. Pode ser especialmente difícil para a mãe que tem outros filhos para cuidar, aquela que retorna ao trabalho ou que está sofrendo de “Baby Blues” ou depressão pós-parto. Mesmo se tudo na vida estiver perfeito, a cólica é desgastante. Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para aliviar o estresse desses tempos de cólicas:

– Saiba que seu bebê vai chorar e nada que você faça vai fazê-lo parar. Isto não é resultado de algo que você tenha, ou não tenha, feito.

– Planeje passeios quando o bebê estiver feliz ou se sair o faz feliz, faça o passeio também durante o período de cólica.

– Aproveite se alguém lhe oferecer ajuda com o bebê, nem que seja para que você possa tomar um banho em silêncio.

– Lembre-se sempre que isto é temporário e que passará.

– Evite fazer listas longas de atividades diárias. Apenas faça o que é mais importante

– Converse com outros pais de bebês que tenham cólicas para compartilhar idéias e confortar uns aos outros.

– Se o choro do bebê deixa você irritada, peça para que alguém o segure enquanto você se acalma.

Quando eu devo procurar um médico?

Sempre que estiver preocupada com o bebê. No caso de cólica, procure um médico se você notar qualquer uma das seguintes situações:

-O choro do bebê vem acompanhado por vômito

– O bebê não ganha peso

– O bebê parece estar com muita dor

– As cólicas duram mais do que quatro meses

– O bebê parece não querer ser segurado ou manipulado

– O choro não se limita a um episódio a noite

– O bebê não apresenta movimentos intestinais regulares ou não molha as fraldas

– Você nota outros problemas que não foram listados previamente

– O choro do bebê está deixando você irritada ou deprimida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s