Acompanhar amamentação dos filhos é positivo para homens

Padrão

 

http://www.usp.br/agen/wp-content/uploads/amamenta%C3%A7%C3%A3o.jpg

Participar do aleitamento mostrou ser importante para os homens

 

A participação do processo de amamentação dos filhos, além de ser importante na preparação do homem para a paternidade, constrói um ambiente doméstico colaborativo. De acordo com a professora e doutora em Enfermagem, Tereza Lais Menegucci Zutin, “a percepção dos homens, em sua maioria, é de que acompanhar o processo de amamentação do filho representa uma experiência marcante”.

 

Lais é autora do estudo A posição do homem no processo de amamentação: um ensaio sobre a produção de sentidos, apresentado na Escola de Enfermagem (EE) da USP sob orientação da professora Isilia Aparecida Silva. Para realizar sua pesquisa de doutorado, iniciada em 2008, a professora entrevistou sete homens, residentes no Município de Marília, em São Paulo, de qualquer idade, condição socioeconômica e cor, que fossem pais de bebês nascidos na Maternidade Gota de Leite. Outro critério estabelecido foi de que estes homens morassem com as mães dos seus filhos pelo menos desde o nascimento destes. Dessa forma, submeteu esses homens a questionários e entrevistas para verificar as impressões masculinas durante processos de aleitamento.

 

A Associação Feminina de Marília Maternidade “Gota de Leite” é uma instituição que completou 82 anos de assistência em Marília. Nesta instituição, a maioria dos seus leitos são destinados à rede SUS, ainda que também receba pacientes particulares. Além da realização de partos e outras assistências pré-natais, na Associação são oferecidos às famílias cuidados após o nascimento dos bebês, inclusive com campanhas de estímulo ao aleitamento dos recém-nascidos por suas próprias mães.

 

Demandas familiares

Nas entrevistas para a pesquisa, foi questionado a esses homens, que acompanhavam suas mulheres amamentando, o que sentiam, como se sentiam e também como eles podiam explicar o que sentiam. Além disso, perguntou-se como eles ajudavam e como participavam do processo de aleitamento, e qual era a percepção desse ato nas relações familiares. Buscar essas impressões auxiliou na constatação de que há mudanças na concepção que os homens fazem da sua própria vida em família e do seu papel nesta sociedade.

 

“Ficou claro o reconhecimento da participação do homem na vida da mulher e do filho, conjugando ações e atitudes que mostram não só o desejo de fazer parte da experiência de mãe e filho, mas também, que sua presença é uma forma de cumprir com as responsabilidades de pai e de companheiro” diz Lais.

 

Segundo a professora, acompanhar este processo, tão relacionado às mães e às mulheres, faz com que os homens tenham condições para entender e apoiar suas companheiras. Assim, “a experiência do homem no processo de amamentação mostra uma significativa transformação do papel masculino”, pois conforme Lais nos diz, incluir homens nas demandas familiares os coloca em situações que antes, devido às pressões sociais, eles não reconheciam. “Torna-se também um universo de oportunidades de integração familiar e de reconhecimento da figura paterna, que vai além do conceito do homem provedor de recursos, embora ainda esta personagem resista, para alguns”, termina.

 

Imagem: Marcos Santos / USP Imagens

 

Publicado no www.aleitamento.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s